Descobri que é possível transformar um país

Descobri que é possível transformar um país

"Só tenho a agradecer aos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma, por me mostrarem que vale a pena lutar pelo que acreditamos até o fim"Rafael Costa - São Paulo/São Paulo

Depoimento enviado em 09/09/2014

Não fiz parte dos milhões de brasileiras e brasileiros que durante os 12 anos de governos petistas saíram da pobreza, garantindo, pela primeira vez nos 500 anos de nosso país, os direitos sociais dessa parcela da população que nunca havia sido olhada pelo Estado brasileiro. Meus pais me deram uma condição de vida muito acima da média da maioria da população brasileira, sempre estudei nos melhores colégios particulares de Recife, cidade onde cresci, sempre ganhei os presentes que quis quando criança, morava em um prédio que tinha piscina, sala de ginástica, etc., ou seja, eu fazia parte da chamada “classe média alta” brasileira.

Durante a adolescência meu contato com a política foi muito escasso, meu pai era assinante da revista “Veja” e a maior parte do conteúdo político que eu tinha vinha desta publicação. Na primeira eleição presidencial que participei aos 16 anos, em 2006, não votei no PT nem no primeiro, nem no segundo turno. Em 2007 ingressei no curso de graduação em Direito na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e foi lá o primeiro espaço em que tive o contato de verdade com a política, através do movimento estudantil. Foi a partir de então que passei a ter contato com uma visão de mundo que me fora negada anteriormente, que nunca a televisão, muito menos a revista semanal do meu pai mostravam, uma visão que me permitia sonhar com um mundo diferente do que eu enxergava cotidianamente e, para além do sonho, me permitia construir no dia-a-dia essa sociedade diferente que o movimento estudantil apresentava. Foi uma experiência única para mim, passar a acreditar na possibilidade de transformar meu país ao mesmo tempo em que começava a acompanhar a trajetória do segundo mandato do presidente Lula, percebendo que transformar nossa sociedade e a vida das pessoas não era somente algo abstrato, que fica restrito ao mundo das ideias, mas sim algo concreto que afeta positivamente a vida de um conjunto muito grande de pessoas.

No entanto, sempre encontrei muita resistência na minha casa ao fato de me organizar no movimento estudantil e, devido a esses problemas, acabei me afastando da militância entre 2009-2010. Foi a eleição da presidenta Dilma e o sentimento de necessidade da continuidade do nosso projeto de transformação do Brasil que me fez criar coragem para, mesmo sem a aprovação dos meus pais, retomar a militância política. As divergências políticas em casa passavam, entretanto, a reverberar na nossa própria convivência e, para não ter que deixar de defender o que eu acredito (que é algo que me faz sentir realmente completo) e não desgastar mais ainda a relação com meus pais, decidi que o melhor a fazer seria ir morar sozinho. Também foi o contato com esse projeto de transformação do país que me ajudou a tomar a decisão de que a vida só vale a pena se decidirmos lutar pelos nossos sonhos, então, finalmente criei coragem de sair do curso de Direito, para o qual não tinha vocação, e decidi cursar História na Universidade de São Paulo (USP), para poder ser professor. Só tenho a agradecer aos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma, por me mostrarem que vale a pena lutar pelo que acreditamos até o fim e que é essa persistência que torna possível para nós transformar o nosso país. Muito Obrigado!